O DÉFICIT EDUCACIONAL E A EXCLUSÃO TECNOLÓGICA NO MERCADO DE TRABALHO BRASILEIRO.

José Flávio Messias, Osmildo Sobral dos Santos

Resumo


O presente trabalho tem como objetivo discutir os reflexos da evolução tecnológica sobre o mundo do trabalho e a necessidade crescente de qualificação e por outro lado,  analisar o enorme déficit educacional existente entre jovens e adultos no Brasil. O país possui atualmente um contingente de 11,8 milhões de pessoas em condições de analfabetismo segundo o IBGE, que corresponde a 7,2% da população com mais de 15 anos e cerca de 24,8 milhões das pessoas de 14 a 29 anos estão fora da escola no Brasil. Atualmente, existe um contingente de 11,8 milhões de pessoas em condições de analfabetismo segundo o IBGE, que corresponde a 7,2% da população com mais de 15 anos e cerca de 24,8 milhões das pessoas de 14 a 29 anos estão fora da escola no Brasil. Diante das intensas mudanças tecnológicas, a sociedade  pressupõe um perfil de  individuos  mais participativos, que acomopanhem as tendências e tenham facilidade para absorver novos procedimentos, de forma que a educação e a cultura, entendendo esta como um compartilhamento do conhecimento acumulado de um determinado país ou região,  sejam fundamentais para se obter este objetivo.


Palavras-chave


Analfabetismo. Educação de Jovens e adultos. Tecnologia. Empregabilidade.

Texto completo:

PDF

Referências


BRASIL. Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação. Parecer CNE/CP, nº 05 de 13 de dezembro de 2005. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/cne/arquivos/pdf/pcp05_05.pdf. Acesso em 22 de maio 2018.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília: Senado Federal, 1988. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Constituicao/Constituicao.htm. Acesso em 29 de maio de 2018.

BRASIL. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional – LDBEN (Lei nº 9.394/96). Brasília, 20 de dezembro de 1996.

CEPAL, Perspectivas Econômicas da América Latina 2017, Santiago, Chile, 2016.

Folha de SP, Automação vai mudar a carreira de 16 milhões de brasileiros até 2030 (Caderno de Economia, 21/01/18),

FONSECA, Solange Gomes da. Uma viagem ao perfil e a identidade dos alunos e do professor da Educação de Jovens e Adultos (EJA). Pedagogia Online. 2010. Disponívelem: http://www.psicopedagogia.com.br/new1_artigo.asp?entrID=1234#.VjNH_NKrTMz. Acesso em 25 maio de 2018.

FREIRE, Paulo. Pedagogia do Oprimido. 32ª ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987.

FREIRE, Paulo. Conscientização: teoria e prática da liberdade — uma introdução ao pensamento de Paulo Freire. São Paulo: Moraes, 1980.

MAIA, Nelly Aleotti, Educação e Cultura: Sinônimos ou Sistemas em Interação?, Da Cultura, ano II, n. 3, jan-jun 2002.

NASCIMENTO, Juliane do, A Educação ao de Jovens e Adultos no Brasil: a problemática da Alfabetização no país, X Congresso Nacional de Educação – Educere, PUC/PR, 7 a 10 de novembro de 2011.

PACIEVITCH, Thais, Educação de Jovens e Adultos, Disponível em: https://www.infoescola.com/educacao/de-jovens-e-adultos/Educação de Jovens e Adultos. Acesso em 06/05/2018.

PACIEVITCH, Thais, Analfabetismo, Disponível em: https://www.infoescola.com/educacao/analfabetismo/Acesso em 06/03/2018.

VERGARA, S. C. Métodos de Pesquisa em Administração. 4ª ed. São Paulo: Atlas, 2010.

TREVISAN, Leonardo, Educação e Trabalho: as receitas inglesas na era da instabilidade, São Paulo, Senac, São Paulo, 2001.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.