Rituais de Morte Africana

Loraine Martins Diamente, Luzcena de Barros

Resumo


O presente artigo procurou trazer a consciência do tema morte, ainda um tabu na sociedade ocidental, a partir de rituais religiosos de morte africana. Os rituais de morte africana são momentos valorizados pela comunidade, pois o morto continua a influenciar a vida dos enlutados. A finitude humana traz complicações com consequências psicológicas, sociais e culturais aos envolvidos, inclusive no momento de sepultamento: os espaços escolhidos demonstram valores, tradições e modo de viver, como um conjunto de relações sociais e culturais neles contidos. Objetivos: a)explorar o tema da morte, a partir do ritual da morte africana; b) despertar a curiosidade dos acadêmicos em diferentes rituais de morte, como facilitadores do conhecimento e aproximação do tema e c) integrar os diferentes rituais de morte nos cuidados, para atender as necessidades culturais no momento do óbito. Metodologia: pesquisa bibliográfica, com revisão de literatura e a busca de artigos em periódicos nacionais e internacionais, divulgados nas bases de dados Scielo, LILACS e Google Acadêmico, para embasamento teórico. Resultado: o tema da morte ligado a rituais religiosos e morte africana é pouco explorado em formato de artigo científico, talvez pela morte ainda se revelar um tabu na sociedade ocidental e a comunidade africana pouco presente. Os alunos pesquisadores demonstraram interesse pelo tema na busca dos artigos, e com o passar do tempo de pesquisa, foram solidificando nosso conhecimento de que os jovens pouco se interessam pelo assunto da morte e morrer, e não fazem reflexão da necessidade de capacitação para assistir a finitude de seus enfermos. Conclusão: este trabalho permitiu uma aproximação do tema da morte para os pesquisadores, a partir da exploração de rituais religiosos africanos e permitiu um melhor conhecimento do significado de morte na sociedade africana.

Palavras-chave


morte, vida e morte, rituais de morte africana.

Texto completo:

PDF

Referências


BANDEIRA, Luís Cláudio Cardoso. A MORTE E O CULTO AOS ANCESTRAIS NAS RELIGIÕES AFRO-BRASILEIRAS. Último Andar. São Paulo, v19,p 33-39, jul 2010.

Disponível em:https://revistas.pucsp.br/index.php/ultimoandar/article/view/13304. Acesso em 10 de abril 2019.

DIAS Patrícia Regina Corrêa. RITOS E RITUAIS - VIDA, MORTE E MARCAS CORPORAIS: A

IMPORTÂNCIA DESSES SÍMBOLOS PARA A SOCIEDADE. VIDYA. Santa Maria, v. 29, n. 2, p.7186,jul-dez 2009. Disponível em: https://periodicos.ufn.edu.br/index.php/VIDYA/article/view/328. Acesso em: 27 de março 2019

HIRUY,Kiros, MWANRI,Lillian. End-of-life experiences and expectations of Africans in Australia: Cultural implications for palliative and hospice care, Nurs Ethics, march 2013. Disponível em:https://journals.sagepub.com/doi/abs/10.1177/0969733012475252. Acesso em: 17 de abril 2019.

KOVÁCS, Maria Júlia. Morte e Desenvolvimento Humano.Casa do Psicólogo. São Paulo;p,1-12, 1992.

LOUREIRO, A.M.L. The baton of death orchestrating life. Interface - Comunic., Saúde, Educ.,Botucatu SP, v.12, n.27, p.853-62, out./dez. 2008.Disponível em:

https://www.scielosp.org/pdf/icse/2008.v12n27/853-862/pt . Acesso em: 20 março 2019.

MENEZES, R.; GOMES, E. “Seu funeral, sua escolha”: rituais fúnebres na contemporaneidade. Revista de Antropologia, São Paulo, v. 54, n. 1, 16 ago. 2012.disponível em: http://www.revistas.usp.br/ra/article/view/38585. Acesso em: 27 de março 2019.

MUNIZ Paulo Henrique - O ESTUDO DA MORTE E SUAS REPRESENTAÇÕES

SOCIOCULTURAIS, SIMBÓLICAS E ESPACIAIS. Varia Scientia,v. 06, n. 12, p. 159-169-2006.

Disponível em:http://e-revista.unioeste.br/index.php/variascientia/article/view/1520/12393. Acesso em: 27 de março 2019

PEREIRA,JC. Procedimentos para lidar com o tabu da morte. Ciência & Saúde Coletiva, Rio de Janeiro,18(9):2699-2709,junho 2013. Disponível em: https://www.scielosp.org/scielo.php?pid=S1413-81232013001700025&script=sci_arttext&tlng=es . Acesso em: 20 de março 2019.

PRIORE, Mary Del. Passagens, rituais e práticas funerárias entre ancestrais africanos: outra lógica sobre a finitude. REVISTA DE ESTUDOS AFRO - AMERICANOS, Vol. 1, No 1, p 122-140, jan-jun 2011.Disponível em:

http://revista.universo.edu.br/index.php?journal=4revistaafroamericanas4&page=article&op=viewArticle &path%5B%5D=459. Acesso em: 17 de abril 2019.

SECCO, Carmen Lucia Tindó Ribeiro. Travessias e margens da existência: representações da morte em textos

literários de Angola e Moçambique. Navegações Ensaios. Rio de Janeiro, v. 5, n. 1, p. 68-72, jan./jun. 2012. Disponível em:

http://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/navegacoes/article/view/11075/7600. Acesso em: 10 de abril 2019.

TEIXEIRA,Marco Antônio. A MORTE E O CULTO AOS MORTOS NAS TRADIÇÕES POPULARES DE RONDÔNIA.SABER CIENTÍFICO. PORTO VELHO, v. 2, n. 2, p. 1-36, jul-dez 2009. Disponível em:http://revista.saolucas.edu.br/index.php/resc/article/view/128. Acesso em: 10 de abril 2019.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.