Gestão do capital intelectual nos Correios

Autores

  • Leornado Fabris Lugoboni Universidade Ibirapuera e Centro Universitário Alves Faria
  • Moyses Vieira da Silva Especialista em Controladoria pela FECAP
  • Marcus Vinicius Moreira Zittei FMU
  • José Orcelio do Nascimento FECAP
  • Flavia Cruz de Souza Murcia Universidade Ibirapuera

DOI:

https://doi.org/10.22567/rep.v10i1.810

Palavras-chave:

características dos CEOs, B3, teoria dos escalões superiores

Resumo

Este estudo teve como objetivo evidenciar como os gerentes dos Correios gerem seu capital intelectual. Optou-se pela realização de um estudo em duas etapas: análise documental e pesquisa survey. Na primeira etapa, foram identificados pontos fortes no que se refere à gestão do capital intelectual dos Correios: plano decargos e salários ajustado com a política de desenvolvimento profissional, criação do programa Inova Correios, e identificação das necessidades e expectativas dos clientes. Na segunda etapa, 37 gerentes de agências da cidade de São Paulo destacaram a importância de alguns indicadores relacionados às três dimensões do capital intelectual: satisfação do funcionário, eficiência nos processos, qualidade nos processos, clientes dos Correios e gestão da carteira de clientes. Ressalta-se a necessidade de melhoriaem diversos indicadores por parte da empresa, além da implantação de ferramentas para controle e mensuração do capital intelectual, com o intuito de agregação de valor e continuidade do negócio.

Biografia do Autor

Leornado Fabris Lugoboni, Universidade Ibirapuera e Centro Universitário Alves Faria

Professor do mestrado da em Administração da UNIB e UNIALFA

Moyses Vieira da Silva, Especialista em Controladoria pela FECAP

Especialista em Controladoria pela FECAP

Marcus Vinicius Moreira Zittei, FMU

Professor e coordenador do mestrado em governança da FMU

Doutor em Ciências contáveis e Administração pela FURB

José Orcelio do Nascimento, FECAP

Professor e coordenador da especialização em Gestão Pública e Mestre em ciências contábeis 

Flavia Cruz de Souza Murcia, Universidade Ibirapuera

Professor do mestrado profissional em administração da UNIB Doutora em Administração pela UFSC

Referências

Andrade, M.M. (2010). Introdução à Metodologia do Trabalho Científico. São Paulo. Atlas.

Andreeva, T., & Garanina, T. (2016). Do all elements of intellectual capital matter for organizational performance? Evidence from Russian context. Journal of Intellectual Capital, 17(2), 397-412.

Antunes, M. T. P. & Martins, E. (2002). Capital intelectual: verdades e mitos. Revista Contabilidade & Finanças, 13(29), 41-54.

Arnosti, J. C. M, Neumann, R. A., Oliveira, E.C.M. & Yomura, N. (2009). Capital Intelectual: Reconhecimento e Mensuração. São Paulo: Juruá.

Bervian, P.A; Cervo, A.L; Da Silva, R. (2007). Metodologia Científica. São Paulo: Pearson.

Bollen, L., Vergauwen, P., & Schnieders, S. (2005). Linking intellectual capital and intellectual property to company performance. Management Decision, 43(9), 1161-1185.

Bontis, N. (1998). Intellectual capital: an exploratory study that develops measures and models. Management decision, 36(2), 63-76.

Carson, E., Ranzijn, R., Winefield, A., & Marsden, H. (2004). Intellectual capital: Mapping employee and work group attributes. Journal of intellectual capital, 5(3), 443-463.

Contador, J. C., Contador, C. A., de Carvalho, M. F. H., & Contador, J. L. (2006). Metodologia para análise e ampliação da competitividade empresarial. Ciencias da Administraçao, 8(15), 5.

Correios. (2013). Relatórios da Administração dos Correios: Exercício 2012. Recuperado em 15 de ago de 2013, de http://www.correios.com.br/sobreCorreios/empresa/publicacoes/arquivos_pdf/RelatorioAdministracao_2012.pdf.

Demo, G., Fogaça, N., Nunes, I., Edrei, L., & Francischeto, L. (2011). Políticas de gestão de pessoas no novo milênio: cenário dos estudos publicados nos periódicos da área de administração entre 2000 e 2010. RAM. Revista de Administração Mackenzie, 12(5), 15-42.

Dias, C. M. Jr, Lima, M. V. A., & Dalmau, M. B. L. (2011). Uma contribuição ao desenvolvimento de indicadores de desempenho para ativos intangíveis organizacionais. Revista de Ciências da Administração, 13(31), 11-29.

Dumay, J., Rooney, J., & Marini, L. (2013). An intellectual capital-based differentiation theory of innovation practice. Journal of Intellectual Capital, 14(4), 608-633.

Edvinsson, L. & Malone, M.S. (1998). Capital intelectual: Descobrindo o valor real de sua empresa pela identificação de seus valores internos. São Paulo: Makron Books.

Estrada, R. J. S., & de Almeida, M. I. R. (2007). A eficiência e a eficácia da gestão estratégica: do planejamento estratégico à mudança organizacional. Revista de ciências da administração, 9(19), 147-178.

Fontenelle, I. A. (2012). Para uma crítica ao discurso da inovação: saber e controle no capitalismo do conhecimento. RAE-Revista de Administração de Empresas, 52(1), 100-108.

Fundação Nacional Da Qualidade (FNQ). (2007). Capital intelectual e inovação: a gestão dos intangíveis. São Paulo, 2007.

Galbreath, J. (2002). Twenty-first century management rules: the management of relationships as intangible assets. Management Decision, 40(2), 116-126.

Gião, P. R., & Oliveira, M. D. M. Jr. (2009). Offshoring de serviços de call center: um estudo comparativo entre Brasil, Índia e África do Sul. REGE Revista de Gestão, 16(2), 17-32.

Gibbert, M., Leibold, M., & Voelpel, S. (2001). Rejuvenating corporate intellectual capital by co-opting customer competence. Journal of Intellectual Capital, 2(2), 109-126.

Gracioli, C., Godoy, L. P., Lorenzett, D. B., & Godoy, T. P. (2012). Capital intelectual: uma ferramenta inovadora na busca por vantagens competitivas. RAI Revista de Administração e Inovação, 9(4), 96-120.

Iudícibus, S. (1997). Teoria da Contabilidade. São Paulo, Atlas.

Kaplan, R. S.; Norton, D. P. (1992). The balanced scorecard – measures that drive performance. Harvard Business Review, 71-79.

Khalique, M., Bontis, N., Shaari, J. A. N., & Isa, A. H. Md. (2015). Intellectual capital in small and medium enterprises in Pakistan. Journal of Intellectual Capital, 16(1), 224-238.

Khan, S. (2011). The interactive effects of intellectual capital components on the relevance of the balance sheet as an indicator of corporate value. Journal of American Academy of Business, 130-136.

Kich, J. I. F., Pereira, M. F., Emmendoerfer, M. L., & dos Santos, A. M. (2008). A influência do líder na condução do processo de implementação do planejamento estratégico. Ciencias da Administraçao, 10(21), 122-146.

Krücken-Pereira, L., de Abreu, A. F., & Bolzan, A. (2002). A necessidade de inovar: um estudo na indústria de alimentos. Revista de Ciências da Administração, 4(6), 19-27.

Lev, B. 2001. Measuring the value of Intellectual Capital. Ivey Business Journal, 65(4):16-20.

Lima, A. D. A., & Baptista, P. D. P. (2013). Impacto da congruência entre autoconceito e personalidade de marca na intensidade da qualidade de relacionamento e lealdade do consumidor. Revista Brasileira de Marketing, 12(1), 73-96.

Matos, B., Reina, D., Ensslin, S.R. & Reina, D.R.M; (2011). Evidenciação voluntária do capital intelectual de natureza social e ambiental da empresa Natura Cosméticos S.A. no período entre 2003 e 2008. Revista Contemporânea de Economia e Gestão, 9, (1),67-77.

Oliveira, A.B.S. (1999). Contribuição à formulação de um modelo decisório para intangíveis por atividade: uma abordagem de gestão econômica. São Paulo. 1999. Tese Doutorado. Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade da Universidade de São Paulo.

Olve, N., Roy, J. & Wetter, M. (1999). Performance drivers: a practical guide to using the Balanced Scorecard. London, John Wiley & Sons.

Piva, L. C., Fumagalli, L. A. W., de Paula Baptista, P., & da Silva, W. V. (2007). Relação entre satisfação, retenção e rentabilidade de clientes no setor de planos de saúde. Revista de Ciências da Administração, 9(19), 54-80.

Ramírez, Y., Manzaneque, M., & Priego, A. M. (2015). Formulating and elaborating a model for the measurement of intellectual capital in Spanish public universities. International Review of Administrative Sciences, 83(1), 149-176.

Reis, A., & Giacomini, G. F (2008). Indicadores de Responsabilidade Social: estudo comparativo entre empresas públicas e privadas, baseado no Balanço Social IBASE. Revista de Ciências da Administração, 10(22), 171-185.

Rezende, J. F. C., Avila, M., & Maia, R. S. (2012). Geração e gestão do valor por meio de métricas baseadas nas perspectivas do capital intelectual. Revista de Administração, 47(1), 51-67.

Rozzett, K., & Demo, G. (2010). Desenvolvimento e validação fatorial da escala de relacionamento com clientes (ERC). RAE-Revista de Administração de Empresas, 50(4), 383-395.

Scherer, F. L., & Gomes, C. M. (2010). Internacionalização De Empresas: Perspectivas Estratégicas No Setor Coureiro-Calçadista. REGE Revista de Gestão, 17(1), 27-44.

Schneider, C., & Moretto Neto, L. (2006). Avaliação do desempenho organizacional da empresa familiar Indústrias Alfa SA* com base no modelo de gestão estratégica balanced scorecard. REGE Revista de Gestão, 13(1), 89-104.

Secundo, G., Dumay, J., Schiuma, G., & Passiante, G. (2016). Managing intellectual capital through a collective intelligence approach: an integrated framework for universities. Journal of Intellectual Capital, 17(2), 298-319.

Silva, G. A. V., Basques, P. V., & Facco, F. C. (2006). Conectando recursos humanos e estratégia: em busca de indicadores de resultados na gestão de pessoas. REGE Revista de Gestão, 13(3), 87-100.

Silva, J. F, Fº., Holanda, L. M. C. & Rocha, R.C.C. (2006). Capital intelectual: Um estudo de caso numa empresa de jornalismo. In: XIII SIMPEP - Bauru, SP, Brasil, 6 a 8 de Novembro de 2006.

Smriti, N., & Das, N. (2018). The impact of intellectual capital on firm performance: a study of Indian firms listed in COSPI. Journal of Intellectual Capital, 19(5), 935-964.

Souza, A, A., Guerra, M., Lara, C. O., Gomide, P. L. R., Pereira, C. M., & Freitas, D. A. (2009). Controle de gestão em organizações hospitalares. REGE Revista de Gestão, 16(3), 15-29.

Stewart, T.A. (1998). Capital intelectual: a nova vantagem competitiva das empresas. Rio de Janeiro, Editora Campus.

Vasconcelos, S.P. (2010). Decisões estratégicas de localização de supermercados: um estudo de caso. Revista Brasileira de Economia de Empresas, 10(1), 51-62.

Vieira, V. A., Appio, J., & Slongo, L. A. (2007). Uma análise dos antecedentes da satisfação no trabalho em uma empresa madeireira. REGE Revista de Gestão, 14(3), 1-18.

Vital, J. T., Cavalcanti, M. M., Dalló, S., de Oliveira Moritz, G., & Costa, A. M. (2009). A influência da participação no Índice de Sustentabilidade Empresarial (ISE) no Desempenho Financeiro das empresas. Revista de Ciências da Administração, 11(24), 11-40.

Wernke, R., Lembeck, M. & Bornia, A. C. (2003). As considerações e comentários acerca do capital intelectual. Revista da FAE, 6(1).

Downloads

Publicado

2021-02-01

Como Citar

Lugoboni, L. F., Silva, M. V. da, Zittei, M. V. M., Nascimento, J. O. do, & Murcia, F. C. de S. (2021). Gestão do capital intelectual nos Correios. REVISTA ENIAC PESQUISA, 10(1), 155–177. https://doi.org/10.22567/rep.v10i1.810

Edição

Seção

Artigos