A contribuição tecnológica dos imigrantes japoneses para o Brasil

Autores

  • Andrew Daniel Takeshi Góes Centro Universitário Eniac
  • Thiago Alexandre Alves de Assumpção Centro Universitário Eniac / Núcleo de Pesquisa Eniac (NUPE) http://orcid.org/0000-0001-8597-7512
  • Renato de Brito Sanchez Centro Universitário Eniac / Núcleo de Pesquisa Eniac (NUPE) Universidade de Mogi das Cruzes / Núcleo de Pesquisas Tecnológicas (NPT) http://orcid.org/0000-0002-8335-2540

Palavras-chave:

Tecnologia, Imigração japonesa, Cultura Nipo-brasileira, Kanban, Just in Time, Impressora 3D

Resumo

Este estudo aborda um conteúdo importante, que é a relação entre o cidadão japonês e os brasileiros, será abordado a origem da política imigratória, que trouxe ao país os primeiros japoneses, a sua instalação nos campos de café e o desenvolvimento da agricultura, a concentração da população e a riqueza cultural que o brasileiro absorveu. Outro aspecto importante e que há grande impacto no Brasil é o uso do modelo de gestão Japonês o Just In Time, muito utilizado nas industrias do Brasil, e a ferramenta organizacional Kanban, além de toda a tecnologia desenvolvida por japoneses que integram o nosso cotidiano como a criação do celular com câmera, o notebook e a impressora 3D que é um importante componente da evolução de muitas frentes tecnológica como por exemplo a saúde. E não menos importante será abordar a xenofobia que sofre o povo oriental no Brasil, devido a estereótipos criados e que são disseminadas, além do sentimento de ameaça que há na interação entre estrangeiros e nativos.

Biografia do Autor

Andrew Daniel Takeshi Góes, Centro Universitário Eniac

Acadêmico do curso de Engenharia Industrial Mecânica. Centro Universitário Eniac.

Thiago Alexandre Alves de Assumpção, Centro Universitário Eniac / Núcleo de Pesquisa Eniac (NUPE)

Graduado em Materiais, Processos e Componentes Eletrônicos na Faculdade de Tecnologia de São Paulo-SP (2007), Mestrado (2010) e Doutorado (2015) em Engenharia Elétrica pela Escola Politécnica da Universidade de São Paulo. Atuou no Laboratório de Tecnologia em Materiais Fotônicos e Optoeletrônicos da Faculdade de Tecnologia de São Paulo (FATEC-SP), no desenvolvimento de materiais amorfos (bulk e filme fino) de germanato dopados com íons de terras-raras e contendo nanopartículas metálicas, com aplicações em fotônica e optoeletrônica. Tem experiência na área de Física, com ênfase em Física da Matéria Condensada, atuando principalmente nos seguintes temas: nanopartículas, vidros de óxidos de metais pesados, íons de terras-raras, filmes finos e propriedades ópticas. Atualmente é professor no Centro Universitário ENIAC e pesquisador no Núcleo de Pesquisa (NUPE) da mesma IES, atuando principalmente na área de materiais cerâmicos e poliméricos, e também em eletrônica aplicada. Membro do Conselho Deliberativo do Centro de Inovação Tecnológica Innovation - ENIAC de Guarulhos (CITIG), na função de representante do NUPE e consultor nas decisões relacionadas a pesquisa científica e viabilidade técnica. Possui experiencia comprovada em operação de Microscópio Eletrônico de Transmissão na análise de materiais amorfos contendo nanopartículas metálicas e semicondutoras, e de Microscópio Eletrônico de Varredura, na obtenção de imagens de superfície e identificação de estruturas. Possui também experiência em operação de diversos equipamentos de caracterização físicas e químicas e de instrumentação de laboratório de óptica aplicada.

Renato de Brito Sanchez, Centro Universitário Eniac / Núcleo de Pesquisa Eniac (NUPE) Universidade de Mogi das Cruzes / Núcleo de Pesquisas Tecnológicas (NPT)

Graduado em Engenharia Elétrica pelas Faculdades Integradas Torricelli (2009) e em Engenharia Industrial Mecânica pelo Centro Universitário ENIAC (2019), Especialização em Gestão de Projetos pelo Centro Universitário ENIAC (2020), Especialização em Machine Learning e Inteligência Artificial pelo Centro Universitário ENIAC (2021), Mestre em Engenharia Mecânica pela FEI - Fundação Educacional Inaciana Padre Sabóia de Medeiros (2015) na área de concentração de Sistemas da Mobilidade e Doutorando em Engenharia Biomédica pela UMC - Universidade Mogi das Cruzes (2020). Início de formação no SENAI como Eletricista de Manutenção e subsequente na especialização para Mecânico de Manutenção Eletroeletrônica em paralelo a formação como Técnico em Processamento de Dados.

Diretor Geral do Grupo ENGERISA.

Diretor de Engenharia e Tecnologia / CTO na JKL Holding S.A (JKL Group).
Sócio-Diretor da MSH-BC.

Pesquisador do Núcleo de Pesquisa ENIAC (NUPE) do Centro Universitário ENIAC.

Pesquisador do Núcleo de Pesquisas Tecnológicas (NPT) e do Laboratório Virtual de Tecnologias Assistivas (LAVITA) da Universidade de Mogi das Cruzes (UMC).

Professor Mestre dos cursos Graduação e Pós Graduação de engenharia e tecnologia do Centro Universitário Eniac e da Pós Graduação na ESEM. 

Pesquisas em: 1 - sistemas embarcados, inteligência artificial, sistemas automáticos e robótica, energias alternativas e renováveis; 2 - exoesqueletos, ambientes virtuais para reabilitação de pacientes e identificação de doenças, tecnologias assistivas.

LinkedIn = https://www.linkedin.com/in/renatodebritosanchez/

Lattes: http://lattes.cnpq.br/3993422000423092

Referências

ARTIA. O que é Kanban. 2020. Disponível em: https://artia.com/kanban/. Acesso em: 04 maio 2020

CHINESES IMPLANTAM VERTEBRA feita em impressora 3d. 2014. Disponível em: http://www.i3i.com.br/artigo/chineses-implantam-vertebra-feita-em-impressora-3d. Acesso em: 04 maio 2020.

CIA. TAXA DE MIGRAÇÃO LÍQUIDA. 2020. Disponível em:

https://www.cia.gov/library/publications/resources/the-world-factbook/fields/347.html#JA. Acesso em: 03 maio 2020.

D'ARAUJO, Maria Celina. O Estado Novo (1937-1945). In: D'ARAUJO, Maria Celina. Getúlio Vargas. 2. ed. Brasília: Câmara, 2017. Cap. 6. p. 28-33.

LASK, Tomke. Imigração brasileira no Japão: o mito da volta e a preservação da identidade.: o mito da volta e a preservação da identidade. Horizontes Antropológicos, [s.l.], v. 6, n. 14, p. 71-92, nov. 2000. Fap UNIFESP (SciELO). http://dx.doi.org/10.1590/s0104-71832000001400004.

MATOZINHOS, Isabela Penido et al. IMPRESSÃO 3D: INOVAÇÕES NO CAMPO DA MEDICINA. Revista Interdisciplinar Ciências Médicas, Belo Horizonte, v. 1, n. 1, p. 143-158, maio 2017.

NUCCI, Priscila. O PERIGO JAPONÊS. 2006. 149 f. Dissertação (Mestrado) - Curso de Filosofia e Ciências Humanas, Ifch/ Unicamp, Campinas, 2006. Cap. 2.

PEREIRA, João Baptista Borges. Publicidade e manipulação de identidade étnica: a imagem do japão e dos imigrantes japoneses no Brasil. Ilha Revista de Antropologia, v. 10, n. 1, p. 245-252, 2008.

ROSSIN, José Carlos. História do navio Kasato Maru. Disponível em:

http://www.imigracaojaponesa.com.br/index.php/nossa-historia/curiosidades/historia-do-navio-kasato-maru. Acesso em: 03 maio 2020.

OHNO, Massao. Centenário da imigração japonesa no Brasil. São Paulo: Larousse do Brasil, 2008.

SOUSA, A. O empresariado nipo-brasileiro no oeste paulista: de colono a industrial. 2010. 149 f. Dissertação (Mestrado em Geografia) – Programa de Pós-graduação em Geografia da FCT/UNESP - Universidade Estadual Paulista, Faculdade de Ciências e Tecnologia, Presidente Prudente, 2010.

UEHARA, Alexandre Ratsuo. O crescimento econômico e os investimentos diretos japoneses no Brasil. São Paulo: Associação Brasileira de Estudos Japoneses, 2008.

Downloads

Publicado

2020-10-07